Artigo publicado no Portal Carreira e Sucesso, do Catho On Line 

 

Se você está trabalhando duro para crescer profissionalmente e conquistar a tão almejada e sonhada realização profissional, muito cuidado com os implacáveis matadores do sucesso. Eles trabalham 24 horas por dia, sete dias por semana. Não descansam nem tiram férias. Acompanham você desde o instante em que você acorda até a hora em que vai dormir. Seja em casa, no trabalho ou numa descontraída viagem de férias, estes implacáveis matadores do sucesso estão à espera de um deslize, de um erro, de uma derrapada de comportamento para entrar em ação.

 

E, quando entram em ação, as consequências são sempre catastróficas para sua carreira. Vai desde uma mancha em seu currículo, prejuízo financeiro, dano a sua imagem até mesmo a perda do emprego.

 

Por isso, não dê bobeira! Fique atento para não cair nas garras dos matadores do sucesso profissional.

 

 

Matador mentira.

 

Talvez você nunca ouvir falar de Scott Thompson, mas ele é o exemplo do sujeito que chegou ao topo da carreira ao conquistar o posto de CEO do Yahoo em janeiro do ano passado. Mas, para sua desgraça, ele mentiu e sua permanência na empresa ficou insustentável. O presidente do conselho, o mesmo que o contratou, pediu sua cabeça e em maio ele foi demitido. Motivo: colocou em seu currículo uma formação em ciências da computação que nunca fez…

 

Matador falta de educação.

 

Conquistar o posto de comandante de linha aérea internacional é o sonho de qualquer piloto. Ótimos salários, viagens para lugares famosos e o prazer de pilotar grandes aviões. Mas tudo isso virou passado para o Comandante Dale Hersh, da American Airlines.

 

Em janeiro de 2004 ele foi preso por desacato à autoridade logo após desembarcar no aeroporto internacional de Guarulhos. Motivo: quis fazer uma gracinha com o policial federal ao mostrar o dedo médio ao ser fotografado para o controle de entrada no país.

 

Após o constrangimento causado ao seu empregador no Brasil, o comandante Dale Hersh foi demitido assim que retornou aos Estados Unidos.

 

Matador vício.

 

A internacionalmente famosa modelo britânica Kate Moss, a segunda mais bem paga de mundo em 2006, teve a má sorte ao ser fotografada consumindo cocaína num estúdio de gravação de Londres em 2005. Após a publicação das fotos no tabloide inglês Daily Mirror, ela teve seu contrato de 4 milhões de euros, com a marca de moda sueca H&M, rescindido. Na sequência, a chiquérrima Chanel também cancelou seu contrato com a modelo. Já pensou, por causa de uma foto perder 4 milhões de euros? Melhor não ter vício algum…

 

Matador falta de ética.

 

Todo mundo conhece Zeca Pagodinho, o sambista mais bem sucedido do país, com mais de 12 milhões de cópias vendidas. O que pouca gente sabe é que ele usou muito mal sua fama ao dar um péssimo exemplo de falta de ética para os brasileiros. Relembrando: em 2004 ele era garoto propaganda da cerveja Nova Schin, da Schincariol. Até aí, nada de mais. O problema é que o senhor Jessé Gomes da Silva Filho “esqueceu” que tinha um contrato assinado com a Schincariol e simplesmente, sem mais nem menos, apareceu em um comercial da Brahma! O grupo Schincariol recorreu ao CONAR e em 8 de abril de 2004, em uma votação história (11 votos a zero), o comercial da Brahma com a imagem de Zeca Pagodinho foi obrigado a sair do ar. Independentemente das multas que tanto a Brahma quanto Jessé Gomes da Silva Filho tiveram que pagar, o dano a reputação do cantor irá acompanhá-lo para sempre.

 

Matador briga.

 

Com certeza você nunca ouviu falar do ex-piloto belga de Fórmula 1 Bertrand Gachot, mas foi por conta de uma briga de trânsito entre ele e um taxista, em dezembro de 1990, em Londres, que o heptacampeão Michael Schumacher fez sua estréia na Fórmula 1, no GP da Bélgica de 1991 (vencido no Senna). Gachot na época era piloto da Jordan e foi preso na semana do grande prêmio por conta daquela briga seis meses antes. Gachot foi enviado a uma prisão de segurança máxima na Inglaterra e ficou afastado das competições por quase dois anos. Após outros dois longos anos ele retornou as competições, sem resultados significativos, abandonando as pistas em 1995.

 

Matador preconceito.

 

O sonho da jovem saltadora grega Paraskevi Papachristou, de 23 anos, de representar seu país nas olimpíadas de Londres do ano passado foi por água abaixo por conta de um infeliz comentário de cunho racista em seu twitter. O chefe da delegação grega Isidoros Kouvelos disse à televisão que ela não poderia mais estar na equipe, por ter violado os valores olímpicos.

 

Já faz tempo que o preconceito racial, sexual ou religioso está fora de moda. Mas tem gente que ainda não se deu conta desta nova realidade. A atleta até chegou a pedir desculpas, mas o estrago já estava feito.

 

Matador sinceridade.

 

Quando te perguntarem como você vai, por favor, não fale a verdade… Ninguém, além de seu melhor amigo ou de seu terapeuta quer saber de seus problemas financeiros, familiares, profissionais ou pessoais. Simplesmente diga que está bem e ponto. Isso vale também para quando lhe perguntarem para quem você votou. O gaúcho Nelson Jobim que o diga. O ex-ministro da Defesa do governo Dilma disse numa entrevista que tinha votado em Serra na eleição para presidente em 2010, justamente o adversário de Dilma na época. Somado a outros comentários por demais sinceros, Jobim viu-se que obrigado a entregar sua carta de demissão em 4 de agosto de 2011.

 

Matador traição.

 

Pular a cerca, definitivamente, não é uma boa ideia. O ex-presidente do FMI e na época provável candidato para concorrer a vaga de Nicolas Sarkozy na eleição para presidente da França em maio deste ano aprendeu da pior forma possível esta lição.

 

O francês Dominique Strauss não pensou duas vezes e manteve uma relação sexual com a camareira do hotel em que estava hospedado, em Nova Iorque, em maio de 2011. Poucos dias após Dominique acabou sendo preso por acusação de abuso sexual e tentativa de estupro. Logo em seguida ele renunciou a presidência do FMI e sua possível candidatura à presidência da França foi automaticamente descartada. Mesmo tendo sido posteriormente inocentado das acusações, o futuro político de Strauss acabou, bem como seu casamento.

 

Matador ganância.

 

Imagine você, um executivo de apenas 28 anos, morando num apartamento de luxo na bela e moderníssima cidade-estado de Cingapura, com um salário nababesco, dois carros na garagem (um esportivo, é claro), trabalhando para o banco mais antigo do Reino Unido, fundado em 1763. Legal, não? Pois é, mas Nick Leeson deixou-se embriagar pelo excesso de poder (seu trabalho não era supervisionado) e pelo excesso de autoconfiança (Lesson tinha ganho um bônus de 130 mil libras) e arriscou alto demais no mercado de derivativos. Infelizmente sua aposta não deu certo e o prejuízo causado foi tão grande – 600 milhões de libras – que acabou levando o famoso e tradicional Barings Bank ao fechamento em 1995. Lesson saiu de seu apartamento de luxo para cumprir uma pena de seis anos em uma cela de prisão.

 

Matador imprudência.

 

O capitão Francesco Schettino, 52 anos, comandante do navio de cruzeiro Costa Concordia, com suas incríveis 112 mil toneladas, 17 pontes e capacidade para transportar confortavelmente 3.780 passageiros, quis fazer uma homenagem a um colega aposentado que mora na pequena ilha de Giglio, na costa da Itália, na noite de 13 de janeiro do ano passado. Mas sua intenção acabou se mostrando imprudente, pois, ao conduzir o imenso navio próximo demais da costa, ele acabou se chocando com uma grande pedra submersa. O navio começou a fazer água e o capitão Schettino não teve alternativa a não ser a de iniciar o procedimento de evacuação de todos os passageiros e tripulantes. Infelizmente 32 passageiros não conseguiram abandonar o navio e faleceram. Schettino cumpre prisão domiciliar e aguarda o final do julgamento.

 

Infelizmente o sucesso também tem seu lado perverso, ao minar a prudência e a humildade. Um velho ditado chinês lembra que a arrogância vem antes da queda. Se você analisar os exemplos verá que este ingrediente está quase sempre presente, seja pelo excesso de autoconfiança, seja pela falta de humildade, seja pela ausência de caráter.

 

Para encerrar, deixo o alerta para você que já está no topo de sua carreira: trilhe apenas o caminho da ética e da retidão, pois os matadores do sucesso profissional estão à espreita…

 

“Ao examinarmos os erros de um homem, conhecemos o seu caráter.” Confúcio (551 – 479 a.C.)

 

Artigos

Porque uma coluna sobre Marketing?

Jornal Indústria e Comércio
Segunda, 01 de Agosto de 1994.
1ª edição da coluna – Página D13

 

Há muito o marketing vem sendo uma preciosa ferramenta para o empresário não só garantir não a sobrevivência de sua empresa, como para permitir o seu crescimento, mesmo em períodos recessivos. Isto fica bem evidente diante de três fatores:

Leia mais...

Fotos

Depoimentos

Quero lhe parabenizar por esta excelente obra, eu estava no aeroporto de Brasília em conexão para Belém e precisava de algo interessante para ler e foi maravilhoso quando encontrei seu livro ok.

Cláudio Roberto Alves
São Paulo / SP