Como criar uma marca

Jornal Indústria e Comércio
Segunda, 19 de Dezembro de 1994.
21ª edição da coluna – Página F1

Além de uma boa empresa, de um bom produto ou serviço, a escolha de uma boa marca ajudará e muito sua venda e consequentemente o seu posicionamento na mente do consumidor.

 

Existem algumas regrinhas muito simples que se deve considerar no momento de se escolher uma marca para o produto ou serviço ou até mesmo o nome de uma organização.

Em primeiro lugar, escolha um nome curto e fácil de se memorizar, tipo Gol, IBM, Omo, etc.

Em segundo lugar, além de curto e de fácil memorização, ele deve ser fácil de pronunciar, como Uno, Bombril, Vasp, etc.

Nomes com Wizard, Kolbach, Seven-up, podem dificultar a memorização e correta pronúncia, o que acarreta um certo constrangimento por parte do consumidor. Você deve se lembrar que a Kolbach teve que fazer um comercial para ensinar as pessoas a pronunciar sua marca e com a Seven-up aconteceu algo muito engraçado. O sujeito muito humilde chegava no bar e pedia uma “Sete-up” (na marca aparece o n° 7) e como o balconista ria ou pedia para repetir (a pronuncia correta é “Séven-áp”) o cara mudava de idéia e acaba pedindo uma Coca!

Em terceiro lugar, veja se consegue dizer o que é sua empresa ou o que faz o produto ou serviço já na marca, como King’s Burger (Rei do Hambúrguer), Volkswagen (Carro do Povo), Telepar (Telecomunicações do Paraná) etc.

Em quarto lugar, veja se dá pra usar sua marca em todas as mídias possíveis (TV, rádio, outdoor, revista, jornal, etc.).

Em quinto lugar, evite criar marcas com hífen. Ou você acha que a Pepsi não pegou carona no sucesso da Coca-cola?

Por último, antes de gastar um caminhão de dinheiro para criar uma bela e moderna logomarca e logotipo e depois divulgá-la, trate de verificar a possibilidade de registrá-la, para não ter o incômodo de ter uma empresa batendo à sua porta alegando ser dona da mesma!

ALTA SATISFAÇÃO
A tradicional guerra das colas nos EUA acaba de aterrissar no Brasil. Os primeiros dois comerciais que dão uma idéia do que vem pela frente. O da Pepsi mostra uma reunião de diretoria da rival analisando seu novo visual, sabor, etc. E o contra-ataque (ainda tímido) da Coca mostra que nem a mais potente copiadora do mundo consegue copiá-la.

BAIXA SATISFAÇÃO
Comercial do Shopping Novo Batel que mostra um Papai Noel tirando sua tradicional vestimenta. A função do comercial seria “vender” o shopping ou desfazer a lenda viva na mente das crianças?

 


Sady Bordin, 49 anos, é co-piloto da Trip Linhas Aéreas, palestrante, professor e consultor de marketing.

Depoimentos

Li seu livro e simplesmente amei.

João Bosco Junior
Estudante de Administração, Recife / PE