Como reduzir acidentes de trânsito

Já que é impossível eliminá-los, tentemos ao menos reduzi-los. Minha breve - porém riquíssima - experiência de dois anos na aviação comercial proporcionou-me valiosos ensinamentos na área de segurança, os quais gostaria de compartilhar com os amigos internautas.

 

 

1º) Conheça bem seu carro. Para pilotarmos um avião, fazemos um curso teórico de duas semanas e passamos 20 horas num simulador de vôo. O mínimo que um motorista deve fazer é ler o manual do proprietário do veículo (aliás, o livro mais publicado do mundo e o menos lido!). Desta forma evitaria situações ridículas como a de um sujeito que comprou uma bela pick-up importada e ligou desesperado porque o carro, novinho em folha, simplesmente não dava a partida. Depois de ter sua pick-up guinchada até a concessionária, foi informado que para dar a partida naquele modelo de carro é necessário pressionar o pedal da embreagem...

 

2º) Ajustar-se no banco. Não se sai com um carro antes de se ajustar corretamente ao banco e volante. Os carros novos trazem regulagem de encosto e altura do assento, facilitando o ajuste para os mais variados tamanhos de pessoas. Alguns carros têm ainda a possibilidade de se ajustar a altura do volante. Estes recursos não são apenas luxo, mas sim, segurança no trânsito, pois o motorista devidamente ajustado ao banco e volante tem melhor controle do carro. Os espelhos retrovisores não são meros adornos do carro. São itens de grande utilidade e fundamentais para a segurança. Ajuste-os (os três) somente após ter ajustado o banco do motorista. E use-os! Finalmente, ajuste os cintos de segurança (para o motorista e passageiros). Detalhe importante: não basta apenas afivelá-lo. Você deve pressioná-lo junto ao corpo, de maneira a não deixar o cinto com folga.

 

3º) Inspeção pré-saída. Antes de cada vôo, os pilotos verificam o nível do óleo, a quantidade de combustível, a pressão dos pneus, etc. Ficar sem combustível no carro, além de atrapalhar o trânsito, demonstra total falta de atenção e está sujeito à multa.

 

4º) Pense à frente do carro. Na aviação costumamos brincar dizendo que o nariz do piloto deve estar à frente do nariz do avião. Isto quer dizer que o bom piloto pensa muito à frente antes de executar uma manobra. O bom motorista, por sua vez, deve planejar seu roteiro antes mesmo de sair, pois assim, evita manobras bruscas para fazer conversões em cima da hora, atrapalhando o trânsito e aumentando as chances de um acidente. Se o motorista verificar que passou uma conversão que deveria ter feito, jamais deve dar marcha à ré. Isso é uma péssima idéia, pois nunca deve-se andar no sentido contrário ao da rua, mesmo em marcha à ré!

 

5º) Avaliações periódicas. Um piloto comercial é avaliado duas vezes por ano. Uma em vôo e outra no simulador. E o pobre mortal motorista, quantas vezes tem sua habilidade de conduzir um automóvel com segurança avaliada após obter sua carteira de motorista? Infelizmente, nunca! Tirei minha carteira aos 18 anos. Há exatos 20 anos que não sou novamente avaliado. Será que ainda conseguiria passar numa avaliação de habilidade como há 20 anos atrás?

 

6º) Silêncio total. Na aviação comercial temos uma norma que preconiza “silêncio total” na cabine abaixo de 10 mil pés, seja em subidas ou descidas. Fala-se apenas o necessário. Qual a finalidade disso? Tendo em vista que em baixas altitudes existe maior tráfego e as aproximações para pouso requerem maior atenção, os pilotos devem concentrar-se somente na pilotagem do avião. Porque diabos nos carros seria diferente, com dezenas de automóveis disputando o mesmo espaço? O motorista deve se concentrar apenas e tão somente na condução do veículo, evitando distrair-se com música, conversa com os passageiros e, mais importante, nunca falar ao celular quando estiver dirigindo. É bom lembrar que o ato de conduzir um automóvel não é diversão, mas sim um ato de extrema responsabilidade. Falar ao celular quando se dirige compromete totalmente a atenção e reflexos do motorista. Recentes estudos comprovaram que um motorista falando ao celular demora mais tempo para parar um carro do que um motorista alcoolizado! Por tanto, deixe o celular com o passageiro.

 

7º) Comunique suas intenções. A torre sempre pergunta ao piloto do avião: “Transbrasil 260, confirme suas intenções!”. Além das melhores possíveis (espera-se!), a torre precisa saber exatamente o que o piloto quer fazer para poder orientá-lo e coordenar o tráfego. No automóvel o motorista dispõe de setas que indicam para que lado ele irá (espera-se) virar. Apesar de parecer um ato banal, ele revela-se muito importante para agilizar o tráfego e evitar pequenos acidentes, uma vez que o motorista que vem atrás pode ultrapassar com segurança o carro da frente pelo lado oposto ao da seta. Deve-se, ainda, em casos de entrada em casas ou edifícios em vias de maior velocidade, utilizar, juntamente com a seta, o braço para alertar o motorista que vem logo atrás da intenção de diminuir bruscamente a velocidade.

 

Não vou cansar o amigo internauta com mais delongas. Sugiro apenas que pense no assunto e procure colocar em prática pequenas, porém saudáveis, atitudes de um bom e responsável motorista. Acidentes podem ser evitados. Depende só de você!

 


Sady Bordin, 49 anos, é co-piloto da Trip Linhas Aéreas, palestrante, professor e consultor de marketing.

Depoimentos

Gostaria de dizer que apreciei muito a leitura do seu livro "100 Dicas para valorizar a sua imagem".

Ana Isabel Leão
São Paulo / SP